quinta-feira, 11 de julho de 2013

Rio de Janeiro, coisa e tal...

Eu ainda não contei sobre meu fim de semana no Rio né? Pois bem... Aqui vai:

estava no Rio e claro que não ia perder a oportunidade de correr por lá. Domingão e lá fomos nós: meu namorado, eu e um amigo carioca. O local escolhido foi a Lagoa porque nunca havia corrido por lá. 



Acordamos tarde e achei isso sensacional! Não foi preciso madrugar e a temperatura estava ótima. O sol estava por lá, mas não fazia calor e nem queimava a pele. 

Segundo meu amigo carioca, a Lagoa até que estava vazia para um dia de domingo. 10K era o objetivo dos três. Na tranquilidade para apreciar o visual maravilhoso daquela cidade linda.

Pois, no quilômetro 6 mais ou menos, em frente ao Flamengo, eu não sei o que aconteceu, mas quando me dei conta, estava de cara no chão. Sim, de cara no chão. Literalmente!

Não sei como eu cai.  Não consegui aparar a queda com as mãos e bati o queixo com força no chão. Feito jaca podre. Fiquei lá, caida, avaliando os danos. Por sorte, foi só a pancada: muito roxo, muito inchaço, mas nada quebrado ou rasgado. Meus dentes estavam todos ali e nem precisei levar ponto algum.



Depois de ter feito a avaliação e constatado que tudo estava ok, permiti que me ajudassem a levantar. Aproveitei que o sangue estava quente e continuei minha corridinha. Não ia abandonar tão facilmente assim! E completei meus 10K, como tinha programado. Bom, mais ou menos programado, porque as avarias na carcaça não estavam nos planos.

Depois vieram as dores e tal, mas para o tamanho da queda (meu amigo achou que fosse batida de carro) os danos foram mínimos.


Durante à tarde vi o Brasil dar show na final da Copa das Confederações e à noite, um risotto de camarão e aspargos (DELICIOSO!!!) feito por uma amiga querida, minha anfitriã no Rio, para terminar o dia muito bem!

Voltando aos dias atuais, hoje fui treinar: 8K. O tempo estava estranho, com uma névoa pouco comum e com tanta umidade que era quase palpável. Estava bem cansada e deixei que o corpo comandasse, seguisse sozinho.